terça-feira, 18 de julho de 2017

Plantio e fé

Pra sua colheita ser farta, é preciso que você enterre sua semente.

De preferencia em solo bom!   Cuide dela paciente e disciplinadamente...


Com expectativas, mas sem ansiedade...



Garantia?  Nenhuma.

Mas normalmente, se tudo correr bem, logo chegará sua recompensa!
A natureza não falha. Plantou, A colheita virá com certeza








Esse período entre por a semente na terra e colher seus frutos é muito definidor.
Para essa mágica da multiplicação uns chamam de milagre, outros, de coisa normal...  E você?


Mas falando sério, que papo de semear, cuidar, colher é esse?


Se sua ideia for uma semente, sua  mente, a terra e  a colheita o resultado do seu esforço e cuidado  dedicado a manutenção, retirada de ervas invasoras e hidratação, faria sentido?
Essas ervas invasoras são bem sinistras, quase sempre são bonitas, atraentes e aparentemente inocentes.
Não é nada assustador do qual possamos fugir, gritar ou atacar assim que nos deparamos com ela.
De jeito nenhum. Quando nos deparamos com ela, gostamos, nos sentimos atraídos, convidamos pra entrar...e até nos viciamos!
Quando a tempestade vem, nos perguntamos: “Pelamor de Deus... quéisso???’
E demoramos mesmo pra identificar, (quando identificamos!)

Se isso acontecer, claro que imediatamente encontramos o culpado, que nos enganou, nos iludiu, nos fez de bobos e nos traiu.

Que beleza se fosse tão simples!

A raiva de ter sido ENGANADO é tão grande que piedosamente nos perdoamos e nos colocamos como a vítima.

E isso perdura até que uma luz amarelinha teima em piscar como um alerta impertinente sem nossa permissão...
Não conseguimos MAIS ficar aliviados após o nosso  auto veredito de INOCENTE...

Afinal quem sempre sai prejudicado nesses processos somos nós (e vários ao nosso redor)
Ser inocente não nos basta mais...


Queremos o poder de identificar o intruso, o invasor...


Até pra não culpa-lo por não sermos bastante bons em defender nossa fronteira.

                     Ter essa paciência de diligentemente estarmos PRESENTES e atentos e alertas ... (ufa) quando estamos vivendo nossa diária vida de interação com o nosso meio, com as forças, os ventos, o sol escaldante, a noite fria, a solidão das madrugadas.

Ser um vigia que guarda, confere, revista e diz não, com certeza absoluta de estarmos fazendo nossa parte.


Nutrir nosso solo com a quietude, o carinho, a alegria, a paciência e a sinceridade, compaixão, é quase uma garantia de boa colheita!

Às vezes nossa esperança escapa.
Mas ficamos felizes ao ver o tenro broto despontar, frágil e sem defesas. Mesmo assim a esperança perdura e se continuarmos na tarefa de cuidar, logo mais  teremos um broto mais forte, mais saudável, mais material, já com a promessa de algo maior...

Ser agricultor não é tão fácil, mas obrigatório se quisermos colher algo de nossa Vida...
O que aprendemos durante o processo é tão rico quanto os frutos.

É algo muito caro, pois o preço de aprendermos é, na maioria das vezes, longo é doloroso!

Tem outra forma?   Claro, deve ter!

Nenhum comentário:

Postar um comentário